Um Chamado para a Oração


por J.C. Ryle

O Senhor Jesus, quando os desperta, os dá uma voz e uma língua, e diz a eles, Não sejam mais mudos. Deus não tem filhos mudos. Orar faz parte da nova natureza deles, da mesma forma como chorar faz parte de uma criança. Eles veem o quanto necessitam de misericórdia e graça. Eles sentem seus vazios interiores e suas fraquezas. Eles não podem fazer diferente do que já fazem. Eles têm que orar.

Eu olhei cuidadosamente a vida dos santos de Deus na Bíblia. Eu não consigo encontrar um, desses em que suas histórias nos é bastante contada, de Gênesis a Apocalipse, o qual não fosse um homem de oração. Encontro que isso é mencionado como uma característica de piedade, que eles invocam o Pai (I Pedro 1:17), ou o nome do Senhor Jesus Cristo (I Co. 1:2). O que está registrado como uma característica dos perversos é que eles não clamam pelo Senhor (Sl. 14:4).
Eu li sobre a vida de vários Cristãos célebres que estiveram na Terra desde os tempos bíblicos. Alguns deles eram ricos e alguns pobres. Alguns tinham estudo, outros não. Alguns eram Episcopais e outros Cristãos que seguem outros modelos de governo de igreja. Alguns eram calvinistas e outros eram arminianos. Alguns amavam usar a liturgia e outros não usavam nenhuma. Mas uma coisa, eu vi, todos eles tinham em comum. Todos eles foram homens de oração. Eu estudo os relatórios de sociedades missionárias em nosso tempo. Vejo com alegria que homens e mulheres que não conheciam a Deus, estão recebendo o evangelho em diversas partes do mundo. Há conversões na África, Nova Zelândia, no Hindustão, na China. Essas pessoas que se converteram são bem diferentes umas das outras em cada aspecto. Mas uma coisa crucial observo em todas as bases missionárias: as pessoas convertidas sempre oram.
Eu não nego que o homem possa orar sem coração e sem sinceridade. Em nenhum momento me atrevo a dizer que o simples fato de uma pessoa orar prova algo sobre sua alma. Como em todos os outros aspectos da religião, bem como nesse, podem existir decepções e hipocrisia.
Mas isto eu digo, não orar é uma prova clara que um homem ainda não é um verdadeiro cristão. Ele não consegue realmente sentir os seus pecados. Ele não consegue amar a Deus. Ele não consegue sentir-se um devedor de Cristo. Ele não consegue buscar a santidade. Ele não consegue desejar o céu. Ele tem que nascer de novo. Ele tem que ser feito uma nova criatura. Ele talvez seja confiante em sua eleição, graça, fé, esperança, conhecimento, e enganar pessoas ignorantes. Mas você pode ter certeza, tudo não passa de conversas vãs se ele não orar.
E eu digo, além disso, entre todas as evidências de um trabalho genuíno do Espirito Santo, o hábito da oração é um dos mais satisfatórios que pode ser nomeado. Um homem talvez pregue por falsos motivos. Outro talvez escreva livros e faça discursos bonitos e pareça aplicado em bons trabalhos e ainda ser um Judas Iscariotes. Mas um homem raramente vai em particular e derrama sua alma a Deus em segredo, a não ser que seja em sinceridade. O próprio Deus colocou o seu carimbo na oração como sendo a melhor prova de uma verdadeira conversão. Quando ele enviou Ananias para Saulo em Damasco, a única evidência que ele deu da mudança do coração de Saulo foi a de que ele orou (Atos 9:11).
Sei que muitas coisas podem passar na mente de um homem antes que ele seja trazido a orar. Ele talvez tenha muitas convicções, desejos, vontades, sentimentos, intenções, determinações, esperanças e medos. Mas todas essas coisas são evidências incertas. Essas características podem ser achadas em pessoas não-cristãs e geralmente não levam a nada. Em muitos casos elas não são mais duradouras do que a nuvem da manhã e a neblina que passa. Uma oração calorosa e verdadeira, que vem de um coração quebrantado e de um espírito contrito, vale mais que todas essas qualidades juntas.
Eu sei que o Espírito Santo, o qual chama os pecadores dos seus maus caminhos, em muitas ocasiões guia-os através de degraus bem baixos até o conhecimento total de Cristo. Entretanto os olhos dos homens só podem julgar o que veem. Eu não posso dizer que alguém está justificado até que ele creia. Eu não ouso dizer que alguém crê até que ele ore. Eu não consigo entender uma fé muda. O primeiro ato de fé será falar com Deus. A fé é para a alma o que a vida é para o corpo. A oração é para a fé o que o fôlego é para a vida. Como um homem pode viver e não respirar está além da minha compreensão e como um homem pode crer e não orar está além minha compreensão também.
Nunca se surpreenda se você ouvir ministros do evangelho falando muito sobre a importância da oração. É aí que queremos chegar; nós queremos garantir que você esteja orando. A sua visão da doutrina talvez seja correta. O seu amor com relação ao protestantismo talvez seja caloroso e inconfundível. Mas talvez isso seja nada mais do que vão conhecimento e uma alegria passageira. Nós queremos saber se você está realmente familiarizado com o trono da graça e se você pode falar com Deus da mesma forma como você fala sobre ele.
Você quer descobrir se você realmente é um verdadeiro cristão? Então tenha certeza que minha pergunta é de muita importância; Você ora?